sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Desafio Fevevlog 05 - O dia que minha chefe jogou meu trabalho no lixo

Vídeo 5 do desafio storytelling #Fevevlog

Assine a PLAYLIST do #FEVEVLOG



Enter your email address:


Delivered by FeedBurner

Desafio Fevevlog dia 04 - Eu sou um colecionador fracassado

Vídeo 4 do desafio storytelling #Fevevlog

Assine a PLAYLIST do #FEVEVLOG



Enter your email address:


Delivered by FeedBurner

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Desafio Fevevlog dia 03 - O primeiro dia de trabalho

Vídeo 3 do desafio storytelling #Fevevlog

Assine a PLAYLIST do #FEVEVLOG



Enter your email address:


Delivered by FeedBurner

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Desafio Fevevlog dia 02 - Neil Armstrong foi o primeiro por outros motivos

Aqui vai o vídeo 2 do desafio storytelling #Fevevlog: publicar 1 vídeo por dia, contando uma história, durante todo o mês de fevereiro.

‪Assine os canais no YouTube dos cavaleiros do desafio:
Henrique Von Atzingen
Mauro Segura
Rodrigo Giaffredo



Enter your email address:


Delivered by FeedBurner

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Desafio Fevevlog dia 01 - Como a corrida mudou a minha vida



Enter your email address:


Delivered by FeedBurner

Desafio #Fevevlog - 1 vídeo contando 1 história em todos os dias de fevereiro

Me chamaram pro um desafio: você é capaz de publicar 29 vídeos curtos no YouTube contando uma história em cada dia do mês de fevereiro?

Pô, vão desafiar logo um cara de marketing e comunicação pra fazer isso? Como não aceitar? Aceitei.  Me ferrei! Começa hoje a noite.

Eu pretendo publicar aqui no blog AQO cada um dos vídeos. Portanto se prepara porque vai ter 1 vídeo por dia durante todo o mês de fevereiro.

Somos eu e mais 3 colegas irresponsáveis de topar essa pagação de mico.
 É o ‪#‎Fevevlog‬: 4 pessoas, 1 desafio

Assinem os canais no YouTube e sigam os 4.





Enter your email address:


Delivered by FeedBurner

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Os 10 melhores podcasts do Brasil em 2015


2015 foi um grande ano para os podcasts, tanto no exterior, especialmente nos Estados Unidos, quanto aqui no Brasil. A mídia cresceu em quantidade e qualidade, foram lançados novos podcasts, alguns muito inovadores, enquanto os números de ouvintes e downloads não pararam de crescer. Os avanços na tecnologia, com destaque para o rápido crescente uso de smartphones e dispositivos móveis, têm conexão direta com o sucesso dos podcasts. Se você não conhece podcasts, essa é uma boa hora para começar. No Brasil existem programas de excepcional qualidade que não podem passar desapercebidos. Leia mais aqui.

A lista a seguir apresenta os 10 melhores podcasts do Brasil em 2015, na minha avaliação. Foi um trabalho difícil. Em seguida, faço uma menção honrosa a vários outros podcasts, também excelentes. Para a montagem dessa lista considerei: conteúdo, produção, inovação, audiência, engajamento, autenticidade e relevância. Acompanhei dezenas de podcasts ao longo do ano, quase todos referenciados por diferentes fontes, inclusive o Mundo Podcast, que publicou o seu ranking, além de um levantamento dos podcasts que os principais podcasters do País mais curtem.

Os 10 melhores podcast no Brasil em 2015 são:

Esse sempre foi um podcast reconhecido, mas 2015 foi o ano dele. O podcast cresceu em audiência, continuou produzindo conteúdo que dá um nó na cabeça das pessoas, provocando reflexão e nos transformando. Com criação e produção de  Luciano Pires, o Café Brasil é hoje, provavelmente, o podcast que abrange o público mais diversificado no Brasil, atingindo desde estudantes até empresários, em todas as regiões. Quer começar a ouvir podcasts? Comece pelo Café Brasil, ele vai embaralhar a sua cabeça.

2- Mamilos
Essa foi a grande novidade do ano. Comandado por Juliana Wallauer e Cris Bartis, o Mamilos trouxe uma proposta nova, com conteúdo riquíssimo, muito debate e conversas profundas sobre temas atuais nada fáceis e polêmicos. O nome sugere que é um podcast dedicado às mulheres. Ledo engano, o programa é para todos. São programas de muita reflexão. Em pouco tempo conquistou relevância e audiência, subindo a barra da qualidade de criação e produção de podcasts no País. A presença de convidados transformou o programa imperdível.

3- BrainCast
Um podcast que começou mais dedicado ao público de marketing e comunicação em 2012, mas hoje está além disso. Sob comando de Carlos Merigo, o BrainCast é uma discussão constante sobre a transformação da sociedade, do mundo digital, do entretenimento e da inovação. Rola sempre um papo animado, leve, com muita pegada de novas tecnologias e futuro. Impossível participar e não aprender coisas novas, conectando com a transformação da nossa vida diária.

4- NerdCast
O podcast mais famoso e de maior audiência do País continua sendo a referência de podcast para todos. É comandado pelo Jovem Nerd (Alexandre Ottoni) e Azaghal (Deive Pazos). Ilude-se quem pensa que esse cast é voltado somente para nerds. Um dia já foi assim, mas hoje é um programa para todos os públicos, apesar de sua audiência ainda ser qualificada de nerd. As discussões têm profundidade e até ficam sérias, mesmo com o tom irônico que permeia quase todos os programas.

5- Escriba Café
Renovado, o Escriba Café migrou para o Medium e voltou com tudo em 2015, com novos episódios e muito mistério. Criação de Christian Gurtner, esse é um podcast diferente dos outros dessa lista. Super bem produzido, esmerado, contando histórias fenomenais, cuidadoso nos detalhes e no roteiro, esse é um podcast que envolve você. Para uma melhor experiência, trate de ouvir cada programa com um fone de ouvido e quieto num canto. Boa viagem!

6- Xadrez Verbal
Uma grande novidade em 2015. Cobrindo um tema árido, o Xadrez Verbal é um podcast semanal dedicado à política internacional. Parece algo chato e complicado, mas Filipe Figueiredo e Matias Pinto dão um show na conversa e no debate. Bem-humorados, com sessões criativas, eles mantêm o pique e descomplicam a política. Esse foi um dos podcasts mais inovadores no ano: pelo conteúdo, pela forma e pela ousadia de entrar num tema para lá de difícil.

7- NaPorteiraCast
Esse podcast de nome divertido já tinha se destacado em 2014 e manteve a pegada em 2015. Na verdade, até melhorou. Eles encontraram a fórmula e conquistaram uma audiência cativa falando de temas os mais variados possíveis. Sob o comando de Randal Bergamasco e Alexandre Sacutti, direto de Pederneiras, interior de São Paulo, eles estudam bem o tema e quase sempre têm um ou mais convidados muito interessantes. Vale cada programa.

8- RapaduraCast
O velho RapaduraCast continua mais atual do que nunca. Podem até existir mais entendedores de cinema do que o pessoal desse cast, mas certamente os rapadurianos comandados por Jurandir Filho são os mais apaixonados por cinema do planeta. Eles continuam dando uma visão profunda e entusiasmada do mundo do cinema e da cultura pop. Veja um filme e depois ouça o programa, você vai sempre descobrir coisas novas.

9- SciCast
Podcast lançado no final de 2013, virou gente grande em 2015. Desmistificando ciência, falando de um jeito simples sem deixar de ser profundo, o programa comandado de Chapecó por Silmar Geremia evoluiu ao longo do ano de forma significativa, buscou novos formatos e ficou ainda mais divertido. A descontração do grupo é contagiante e deixe-se embarcar nas viagens da turma.

10- Ultrageek
Um podcast totalmente dedicado aos apaixonados por tecnologia e pela internet. Rola de tudo nesse podcast: cinema, games, HQs, séries, ciência, cultura, etc. Papo acelerado, divertido e bem humorado. O podcast faz parte da Rede Geek, que é um hub de conteúdo geek. Comandado por Tato Tarcan e Prof. Maury, esse podcast tem audiência cativa, muita interação e diversão certa.

Menção honrosa

Foi difícil montar a lista acima e deixar alguns podcasts de fora.

Como já citado, o ano de 2015 foi pródigo em lançamentos espetaculares. Um dos principais destaques foi o Projeto Humanos, que é um projeto dedicado ao registro e resgate de narrativas individuais, focado no ser humano, um verdadeiro exemplo de storytelling. Esse é um podcast inovador e delicioso de se ouvir. Outro lançamento que merece palmas, é a chegada do GVCast, um podcast focado no empreendedorismo, recheado de entrevistas de valor. Aliás, nessa mesma pegada, podemos saudar a publicação da segunda temporada do LiderCast, um podcast fantástico sobre liderança de todas as formas, com entrevistados das mais diversas origens e experiências. Outro lançamento para aplaudir de pé foi o Caixa de Histórias, um podcast dedicado à literatura e leituras dramatizadas de livros e crônicas.

No ano passado, alguns podcasts amadureceram e se consolidaram, como o excelente TemaCast, que cobre temas diversos, como comportamento, história, biografias e cultura geral. É sempre uma discussão madura e profunda onde você aprende muito. Outro que cresceu foi o LexCast, dedicado a falar sobre temas jurídicos para o público leigo, de forma fácil e com o pé no chão, um exemplo de serviço de utilidade pública. O Papo de Fotógrafo se desenvolveu e criou uma audiência cativa, mostrando uma evidente evolução desde 2013, quando foi lançado. Um podcast muito especial é O Nome disso é Mundo, recheado de entrevistas com brasileiros expatriados. É uma viagem pelo mundo muito interessante.

2015 foi também de continuidade para alguns podcasts já reconhecidos, como o BeerCast, um cast voltado para a cultura cervejeira, artesanal e industrial, que continua divertido, bem produzido e instrutivo. Ironicamente, no ano que mais surgiram bons podcasts, recebemos a notícia do fim do TelhaCast, um dos mais icônicos podcasts da história no País, produzido por Thiago Miro, um nome intimamente ligado à historia do podcast. A boa notícia é que os 100 episódios do TelhaCast ainda estão na web, ao alcance de um click.

Por fim, se você curte podcasts, pretende fazer um ou tem interesse em saber mais sobre os podcasts em si, aí não tem erro, você tem que visitar o Mundo Podcast e o Radiofobia. São endereços certos de muito conteúdo e descobrimento. Lá você descobrirá tudo sobre o universo dos podcasts e muito mais. E não deixe de curtir o Alô Ténica, é demais!

E você? Provavelmente você não concorda comigo em tudo. Tudo bem, montar rankings é sempre polêmico. Quais são os melhores podcasts na sua avaliação?


Enter your email address:


Delivered by FeedBurner

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Entrevista para o LíderCast

Compartilho abaixo a minha entrevista para o Luciano Pires, no LíderCast, que é um podcast formidável sobre liderança. É uma entrevista longa, de 1 hora de duração, onde eu abro o livro e conto a minha história profissional, contando coisas que nunca contei.
Como qualquer podcast, não existe imagem, apenas áudio.
:)


Digite seu email


Um serviço do FeedBurner

sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

Clamor nas redes sociais: Toyota retira filme que mostrava animais pedindo para morrer

 
E aconteceu o que era previsto...

Semanas atrás entrou no ar um comercial surpreendente da Toyota Nova Zelandia: animais pedindo para serem mortos para terem o privilégio de serem carregados numa Hilux. Um alce implora para ser baleado por caçadores. A história do alce termina com ele amarrado no capô da nova Hilux e se mostra super feliz por isso: "Que alegria ser transportado na Hilux. Eu não vou ser caçado, vou ser, de forma feliz, capturado". Um outro animal ama ser atropelado pelo carro na estrada. Saiba dos detalhes dessa incrível história AQUI.

Esse caso teve o desfecho previsto. Dias antes do Natal, o CEO da Toyota Nova Zelandia, Alistair Davis, fez um depoimento público, pedindo desculpas e anunciando a suspensão imediata da veiculação dos filmes. Numa tradução livre para o português: “Nos desculpamos incondicionalmente por qualquer ofensa que tenhamos causado. Nós ouvimos e vamos parar a exibição do anúncio. O público e, em particular os clientes da Toyota, são a essência do nosso negócio, nós monitoramos de perto a repercussão do anúncio e sentimos que a onda dos insatisfeitos estava crescendo. Nós recebemos os feedbacks seriamente e agradecemos a franqueza dos comentários que nossos críticos enviaram para nós".

A campanha gerou debate acalorado, especialmente nas redes sociais, não apenas entre aquelas que pessoas que amam e que protegem animais, mas também entre qualquer pessoa de boa senso. Aí surgem as perguntas: será que ninguém da agência de publicidade e da própria Toyota avaliou o absurdo do conceito base desse filme? Não houve sensibilidade e discussão das possíveis consequências oriundas da veiculação desse filme? Quantas pessoas devem ter trabalhado na criação, produção e aprovação dessa estratégia? Estavam todos realmente acordados ou fora desse mundo?

Enfim, as redes sociais não perdoam. A pressão vinda da web foi intensa. A maioria das pessoas registrou sua indignação e insatisfação no YouTube, mas também rolou muita reação na página oficial no Facebook da Toyota Nova Zelândia. Sinceramente, é difícil de entender a escolha por esse tipo de publicidade no momento em que vivemos. Foi falta de desconfiômetro em nível máximo. Em vez de ironizar os animais porque não criar um filme destacando os direitos dos animais? Além do posicionamento público do CEO, a situação ficou tão crítica que a campanha foi retirada da TV, o filme foi removido do YouTube e a agência de publicidade retirou o filme de seu portfolio. Que coisa, hein? 


Enter your email address:


Delivered by FeedBurner

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Tico


Eu sabia que isso acontecer...

O último post sobre 9 personalidades para serem seguidas no Facebook causou a insatisfação de algumas pessoas e recebi várias mensagens ruidosas, vindas de vários lados diferentes. A boa notícia é que a maioria veio por emails e mensagens privadas, o que me privou de um bom bate boca. Nada como ter amigos que pensam em mim :)

O personagem principal de todas as mensagens foi o Tico Santa Cruz. Como posso ter incluído o nome dele na lista? Essa foi a principal indagação de todos. E os argumentos que recebi eram fortes: Ele é um idiota. Ele é um mal exemplo. Colocar o Luciano Pires na mesma vibe do Tico é a mesma coisa que colocar Fred Mercury e Anitta juntos. E por aí vai...

Quando montei a lista, o nome do Tico ficou batendo na minha cabeça. Eu já deixei de seguir o Tico e voltei a segui-lo por diversas vezes. Quase sempre a decisão de deixa-lo foi por conta de seus textos ácidos e o tiroteio ofensivo no campo dos comentários, mas depois resolvo consultar a timeline dele e volto a segui-lo por conta de um ou outro argumento publicado. Sou muito diferente dele em todos os aspectos. Sabe 360 graus de diferença? É isso. Como ficar indiferente a alguém que tem mais de 2 milhões de seguidores no Facebook?

Na minha lista de 9 nomes existem outros nomes que também geram alguma polêmica, como o Romário e o Carlos Osório. O Romário é polêmico desde o início de sua carreira como jogador de futebol e o Osório usa as redes sociais com claro viés político, portanto são nomes bastante questionáveis para entrar também numa lista dessa. Decidi inclui-los pois são exemplos reais de figuras políticas que sabem usar as redes com critério e consistência, mesmo sabendo de suas intenções verdadeiras.

Boechat também tem pontos prós e contras, mas adoro a forma como ele expõe os bastidores de sua vida diária, compartilhando as fotos com as filhas e transformando-o numa pessoa comum como eu e você. Esse foi o principal motivo de minha escolha, mesmo considerando a chatice dele colocar os seus speechs diários na Band News FM dentro da timeline. Mas, enfim, quer segui-lo? Então encara os speechs dele :)

Luciano, Mentor, Cora, Ethevaldo e Givokate parecem ser unanimidades. Não recebi nenhum mensagem negativa a respeito deles. Somente elogios e o silêncio... e nessas horas o silêncio é o melhor feedback.

Sou leitor compulsivo de redes sociais, porém o Facebook foi se tornando um fardo. Aparece muita coisa que não me interessa. Passei a limpar o meu Facebook ao longo do ano, usando os filtros que a rede oferece, e com isso a rede social foi se tornando interessante de novo. Também fui seguindo diversas personalidades diferentes para ver o que eles escreviam e como se comportavam. Aí incluí políticos, empresários, acadêmicos, artistas, pensadores, escritores, etc. Um monte de gente diferente. Para ter ideia, foram nomes como Jean Willys, Carlos Mion, Pondé, Eduardo Jorge, Xico Sá, Lillian Witte Fibe e outros. Muitos me pareceram inicialmente interessantes, mas aí você descobre que eles não tem consistência, escrevem esporadicamente, fazem divulgação excessiva de seus trabalhos e se tornam chatos ao longo do tempo. Isso se repetiu dezenas de vezes comigo. Talvez, nessa relação, o chato seja eu :)

A lista dos 9 nomes são nomes que eu sigo regularmente, apesar de não concordar em nada com o Tico, e não ter admiração pelo Romário e pelo Osório. Gosto do Boechat na rádio, mas estou longe de concordar com tudo que ele fala e pensa. Da lista que publiquei, os 3 nomes que tenho admiração profunda, pelo que publicam e pensam, são: Luciano Pires, Ethevaldo Siqueira e Cora Ronai. São pessoas que conheço, me relaciono e sou grande admirador. É impossível não acompanha-los em tudo que fazem. São fontes de inspiração para mim.

Em resumo, se a minha lista gerou decepção, fica aqui as minhas desculpas. Fazer listas é sempre um desafio, porque sempre gera percepções e avaliações diversas. Aliás, diversidade é a palavra do jogo na montagem de qualquer lista, quanto mais diferente, abrangente e heterogênea, melhor será a lista. Confesso que faço um esforço enorme para ouvir algumas pessoas que não me agradam, por isso sou seletivo e escolho poucos que incomodam meus ouvidos. Sou radicalmente contra preconceitos, mas gosto de me aproximar de pessoas preconceituosas para entender como pensam e como posso influencia-las de alguma forma. Talvez isso explique um pouco tudo isso. Portanto peço desculpas a Andressa, Tadeu, Paulo, Luciana e Marcelo, que foram os que me enviaram os comentários mais contundentes.

Desejo um 2016 especial para todos, com muita paz, saúde, fraternidade e realizações.



Enter your email address:


Delivered by FeedBurner
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...